Os três tipos de categórias do trem da morte na Bolívia

Existem três tipos diferentes de trens que saem da estação de Puerto Quijaro na Bolívia. Gente, esse trem não sai do Brasil ok?

Ferroviária Oriental: Classes – Pullman e Primeira: assentos reclináveis, apoiadores de pé, TV, ar condicionado, serviço de bordo com refeiçoes e luz de leitura.
Ferro Bus: Classes – Cama e Semi-cama: intermediário com assentos reclináveis.
Expresso Oriental: Classes – Super Pulmann e Primeira: bem menos confortáveis com bancos não reclináveis.

Mas não vá achando que de uma classe para outra é tão diferente assim, é apenas um diferencial. Bem detalhe. Todos os trens são muito simples e saem em dias e horários diferentes.

Na ida, tive sorte de pegar o Ferroviária Oriental — pullman, umas das melhores categorias com poltronas acolchoadas, reclináveis e placas informativa em inglês e espanhol. É o típico trem dos turistas. Na volta peguei o Expresso Oriental e a diferença foi grande. No vagão faz muito calor, as poltronas não reclinavam absolutamente nada e eram de um material que gruda no corpo, se estiver muito calor então? Fica pior. Totalmente desconfortável! A opção para dormir era no corredor ou ter a sorte de achar duas poltronas vagas. As janelas também não fechavam direito e ainda bem que não choveu. Apesar disso tudo, foi uma experiência única e antropológica, pois o contato o modo de vida das pessoas que o usam diariamente é direto.

A diferença é nítida entre os dois trens, que dispensa até legenda.

Se o trem sair dos trilhos, tudo bem. É normal.

A viagem dura em média 19h, com várias paradas para desembarque e embarque. Durante o percurso um forte barulho chamou a atenção de todos, seguido de um polirão que agitou os passageiros do trem. E o que era? Um dos vagões, o seguinte do meu, tinha saído dos trilhos. Poderia ser algo trágico se não fosse pela tranquilidade dos funcionários em verificar a situação. Já havia lido alguns relatos sobre o trem sair dos trilhos, mas nunca esperamos que seja o nosso. Acontece com tanta frequência que colocaram o trem de volta em poucos minutos e a viagem seguiu normalmente.

Cris Marques

Turismóloga, blogueira, viajante, artista circense, admiradora das brincadeiras populares e dos simbolismos étnicos. Pratica yoga. Sagitariana nata. Não viaja sem seus óleos essenciais e usa o de lavanda toda vez que vai voar de avião. Desde abril de 2013 não tem residência fixa e vive viajando de um lugar para outro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>