Hospedagem gratuita em 245 países e milhões de viajantes dormindo em sofás de desconhecidos

Conheça o Couchsurfing

Faço parte do Couchsurfing desde 2009 e de uns tempos pra cá tenho percebido o aumento de interesse dos brasileiros em viajar através da rede. A galera está deixando de lado o medo de dormir em casas de desconhecidos e desapegando do modelo que diz que sinônimo de hospedagem é hotel, pousada e hostel.

Couchsurfing significa, ao “pé da letra”, surfistas de sofá. É uma rede de hospedagem solidária mundial com mais de 3 milhões de usuários em 245 países. Pessoas espalhadas pelos quatro cantos do mundo, dispostas a receber hóspedes sem cobrar nada. Soa estranho para quem não conhece, afinal vivemos em mundo capitalista que qualquer ação vinculada com “gratuito” já gera desconfiança em muita gente. Realmente, nada é totalmente de graça. Nem mesmo o coushsurfing. A proposta da rede é criar um intercâmbio cultural por meio da interação de pessoas sem intermédios de agências, guias e afins. Estimular a participação ativa do viajante com cultura local e incentivar a vivência do cotidiano partilhado com as pessoas da cidade. Viu? Não é de graça. É uma troca.

O CS (sigla para Couchsurfing) funciona em um site próprio e cada pessoa tem seu perfil, com fotos e descrições pessoais. Não é obrigado dar hospedagem para ser recebido. Quem é membro pode optar em três tipos de troca:

sobre-couchsurfing-dentro-do-mochilao

Página do site

1. HOST: receber viajantes em casa – quem não pode ficar viajando todo o tempo, mas quer abrir a casa para os viajantes. Nesse caso, o anfitrião precisa indicar no perfil quantos viajantes pode hospedar e, por quanto tempo.

2. GUEST: hospedar na casa de uma pessoa, família ou comunidade – são os hóspedes.

3. Disponível para passeios - não pode receber viajantes em casa, mas está disponível para mostrar a cidade, tomar um café, emprestar uma bicicleta, almoçar, sair para uma balada ou ajudar com indicações do que fazer.  

Busque um sofá e encontre amigos

Para achar um couch basta colocar o nome da cidade que irá viajar e fazer a busca. É possível filtrar especificando a idade do anfitrião, o sexo, se é membro verificado, entre outras opções. Aparecerá um lista enorme — ou não, dependendo do tamanho da cidade —, com todos os membros do lugar indicado. O interessante é buscar por pessoas com afinidades em comum. Suponhamos que você é vegetariano(a) e prefira ficar na casa de outros vegetarianos; ou, é um fotografo(a) e quer encontrar pessoas que partilhem da mesma paixão, ou quiçá trocar experiências com um host que já viajou o mundo de bicicleta.

Pode buscar por pessoas que vivem em comunidades, que moram sozinhos ou com a família.  São inúmeras as possibilidades. Mas uma coisa é certa, todos os membros são apaixonados por viagem. Agregando valor às suas viagens, o CS é muito mais do que escolher aleatoriamente um lugar para dormir, e sim ter a possibilidade de fazer novos amigos, partilhar histórias e saberes.

couchsurfing-dentro-mochilao

Nem toda cama é sofá

Das vezes que usei couchsurfing, o máximo que cheguei perto de dormir no sofá foi um sofá-cama, muito confortável por sinal. Já dormi em colchão, rede, em cima de algumas roupas no chão, em uma esteira de palha, em uma cama casal gigante e até tive um quarto — que mais parecia um apartamento pequeno — com banheiro, sala, cozinha e closet. Também já fiquei em uma casa que se resumia em apenas um quarto até uma luxuosa mansão de quatro andares (tinha até um mordomo). Não é obrigatório especificar qual “tipo de sofá” o anfitrião tem para oferecer, mas normalmente os membros colocam uma breve descrição do “sofá” disponível.

Na minha página do CS optei em colocar o que posso oferecer [clica aqui e veja meu perfil]. Essas informações são opcionais e vai do gosto de cada um. Os sofás são sempre uma agradável caixinha de surpresas que independente do lugar, o anfitrião te oferecerá a melhor hospitalidade.

Experiências positivas

Uma vez recebi um psicopata colombiano que me deu um pequeno susto na primeira noite de couch (detalhe: o cara solicitou OITO dias de hospedagem). Para resumir a história, acordei no meio da noite, com ele sentando na ponta da minha cama dizendo que estava sem sono. Sabe quando você acorda com a impressão que tem alguém perto de você? Foi assim. Fiquei muito brava com a atitude dele que até ameacei dar na cara dele com golpes de capoeira (risos). No final, ele ficou muito envergonhado e pediu milhões de desculpas. Nos entendemos e acabei deixando-o ficar pelos sete dias restantes, com a promessa de se comportar.

Apesar desse fato bem pontual e isolado, posso dizer que nunca tive uma experiência negativa. O CS me mostrou a humanidade de viajar, o respeito pelas diferenças e a cumplicidade entre pessoas que até o dia seguinte eram totalmente desconhecidas. Eu acredito que no mundo há muito mais pessoas boas do que ruins, por isso sigo viajando dessa forma. O CS é a prova que essa não é uma teoria do “meu país das maravilhas” e sim, um pensamento materializado através do coletivo. E nós não estamos sozinhos. Juntam-se ao grupo os pais e familiares que indiretamente “fazem parte do pacote”. Fico encantada com casas de famílias onde apenas um membro é cadastrado no CS, mas todos da casa — pai, mãe, irmãos, avós, cachorros e papagaios — acabam envolvidos com o guest e o movimento do couchsurfing. Já tomei café da manhã com o pai do anfitrião em Quito, caminhei pelas ruas de Curitiba com o pai e a irmã de uma host e colhi amoras com a mãe de outro host na Colômbia.

couchsurfing-dentro-do-mochilao-2

Em todas as casas que fiquei hospedada me senti bem-vinda, acolhida e protegida. Ao viajar minha primeira opção de hospedagem sempre é o couchsurfing. Sempre! As pessoas que conheci pela rede fizeram das minhas viagens mais vivas. Pude entender os locais pela perspectiva de quem vive ali e participar de vários momentos íntimos como: casamentos, festa de 15 anos, batizados e até situações tensas, de ficar três dias sem poder sair de casa, com o toque de recolher em uma tentativa de golpe de estado no Equador. O CS me trouxe amigos de toda vida.

Levei meu guest Francês para passar um dia como voluntário em um hospital público de Brasília.

Levei meu guest Francês para passar um dia como voluntário em um hospital público de Brasília.

Gentilezas como moeda de troca

Como forma de agradecer pela hospedagem ofereça algo em troca. Pode ser um presente simples, um objeto que simbolize o seu país, sua cidade. Você pode, também, fazer uma faxina na casa, um bolo ou ensinar algo para o anfitrião. Eu tenho uma teoria: quando você ensina algo novo para uma pessoa, a partir do momento que ela aprender, você se tornará inesquecível.

couchsurfing-dentro-do-mochilao-1

Faça parte do Couchsurfing

Basta cadastrar no site www.couchsurfing.org e preencher os dados. Não precisa ter uma casa enorme, com quartos super paramentados para receber os viajantes, o mais importante do CS é o intercâmbio cultural, entico e social. E lembre-se, quanto mais completa for sua descrição, maiores serão as chances de receber e ser recebido.

couchsurfing-dentro-do-mochilao-cris-marques-2

O couchsurfing nos permite viajar de outra forma e possibilita o encontro com pessoas extraordinárias em qualquer parte do mundo: desde os lugares mais remotos até os mais frequentados, de um pequeno vilarejo até uma grande cidade.

Você tem certeza que vai sempre escolher as hospedagens convencionais?

Cris Marques

Turismóloga, blogueira, viajante, artista circense, admiradora das brincadeiras populares e dos simbolismos étnicos. Pratica yoga. Sagitariana nata. Não viaja sem seus óleos essenciais e usa o de lavanda toda vez que vai voar de avião. Desde abril de 2013 não tem residência fixa e vive viajando de um lugar para outro.

25 Respostas para Hospedagem gratuita em 245 países e milhões de viajantes dormindo em sofás de desconhecidos

  1. FERNANDO MOREIRA

    Oi Cris não consegui fazer meu cadastro no site…
    moro em Guaraqueçaba, Paraná.
    Quando quiser me visitar as minhas portas estão abertas!!!
    Bjusss em seu coração.

    • Olá Fernando,
      Agradeço seu convite, se um dia passar por sua cidade entrarei em contato. ;)

      Sobre o couch, você tentou fazer por e-mail em vez de cadastrar pelo facebook? Algumas pessoas relataram ter dificuldades pelo face.
      Tenta por esse caminho:
      http://www.couchsurfing.org
      – Sign Up (registrar)
      – Cadastrar por e-mail
      – Pronto! Depois é só preencher com suas informações pessoais e a descrição da sua casa.

      Boa sorte!

      Beijo grande,
      Cris

  2. Cíntia Viviane Ventura da Silva

    Consegui, Cris!
    O valor que aparece é pra “certificar” ou algo parecido.
    Obrigada!

  3. Olá Cris,
    Estou planejando uma viagem à Europa próximo ano, e ouvi falar de um tipo de hospedagem em casa de famílias, que disponibilizam um quarto da casa para hospedar visitantes. Uma opção mais barata e da qual tenho interesse tbm por ter mais contato com os costumes e cultura dos habitantes do lugar que estou visitando. Você pode me indicar opções de sites confiáveis e seguros aonde posso encontrar essa modalidade de hospedagem?

    Grato pela atençao, JP

  4. Cíntia Viviane Ventura da Silva

    Esse CS tem custo, né?
    Me cadastrei, porém cobram uma taxa pra fazer o cadastro de 25 dólares americanos. Daí cancelei.

  5. antonio carlos

    Cris: Minha casa está a sua disposição caso ainda não conheça a minha cidade venha ela é muito gostosa, vc vindo a unica coisa que iremos cobrar de vc é as suas belas infomações a resp. de viagens.

  6. antonio carlos

    Olá Cris Marques
    Moro em Ubatuba litoral Norte de São Paulo
    No ano que vem eu e minha esposa pretendemos viajar pela Europa, e gostaria muito de hospedar em casas de familia de lá, para depois recebe-los em nossa casa, ou pode ser eles virem antes, gostaria de receber pessoas (casal)da nossa idade isto será possivel idade 50 anos,
    Voce pode me responder por favor só mente pelo meu e-mail, eu agradeço muito.

    • Olá Antônio, o couchsurfing é uma rede que acolhe viajantes, independente da idade todos são bem-vindos! Você só precisa fazer o cadastro no site e quando for solicitar uma “couch” avise que está viajando com mais uma pessoa. Sobre você quer receber na sua casa, você pode explicar isso no seu perfil. Geralmente as pessoas procuram as casas por afinidades.

      Grande abraço!

  7. Samara Santos

    OI, Cris.
    Gostei muito da sua descrição sobre suas viagens e dos grupos. Gostaria muito de participar do CS, pois já havia visto e ouvido várias coisas sobre o mesmo, mas tinha certo receio em participar. Apesar de não viajar muito gosto de ler muito sobre viagens e gostaria muito de participar de algo do tipo, para conhecer pessoas, lugares, culturas. E estou pesquisando mais sobre. Espero que Vc possa me ajudar nesse caminho,Com suas descrições.

    • Olá Samara, eu amo o CS e não penso em outro tipo de hospedagem quando estou viajando por conta própria. Já conheci pessoas incríveis, hospedando nas mais diferentes casas. Qualquer dúvida é só comentar aqui, e se eu puder te ajudar, farei com imenso prazer!

      Grande abraço,

  8. Olá…
    Estou encantada com o site, conheci através da pagina do face. PARABÉNS!!!

    Não tenho muita experiência em colocar o pé na estrada, mas meu coração pulsa em busca de lugares novos.

    Eu gostei muito da proposta do couchsurfing, nunca fiz! Mas parece ser mega interessante.
    Quando viajo, opto por hostel e gosto bastante.

    Mas minha duvida é, será que é possível conseguir sofá dentro do Brasil?
    Seria interessante ir e receber pessoas de outros estados…

    Bjos e obrigada pelo lindo site!

    (Recebi a resposta via e-mail, antes mesmo de ter postado aqui, muito obrigada pela atenção e desculpa minha demora em colocar a questão aqui) Bjos Bjos

    • Olá Dani, para se hospedar com o couchsurfing, no Brasil ou no exterior, você só precisa ter a conta. A possibilidade de conseguir ou não vai depender da cidade, da época e da disponibilidade da pessoa em recebe-la. Algumas cidades como o Rio de Janeiro são muito procuradas pelos viajantes, por isso é bom pedir em mais de um couch. Minha primeira opção de hospedagem é couchsurfing e sempre fui muito bem recebida pelos brasileiros. ;) O bacana do couchsurfing é que ele te permite escolher se quer só hospedar, só receber ou só ser um “guia” para o visitante.

      (Respondi por aqui para ajudar outros viajantes com a mesma dúvida)

      Beijos!

  9. uziel junior

    Olá,fiquei encantando com esse modelo de hospedagem, como faço para cadastrar a minha casa para receber gente do mundo todo??

  10. Eu amo o conceito de hospitalidade do CS. <3

    Nós já fomos hospedados em Montreal, Quebec, Buffalo (NY) e São Francisco. Todos nos receberam muito bem, exceto o francês de São Francisco. O cara nem apresentou o banheiro pra gente! Na real, ele nem usou o banheiro nos 3 dias em que estivemos lá. haha Mas, tudo bem, cada um na sua.

    Ainda não conseguimos hospedar ninguém aqui em casa, no Rio. Quem sabe nas férias.

    Beijocas Cris!

    • Opa! Vocês podem me receber. hahahha No Brasil o Rio de Janeiro é um dos lugares com mais hosts no entanto, é SUPER difícil conseguir hospedagem. Ou a galera está recebendo algum guest ou só aceitam com a opção de passeio. Já fiquei em 2 couchs no Rio e um deles solicitei pelo pedido de emergência, se não teria ficado na rua. rsrs

      Bjo grande!

  11. Amei, Cris!

    Curiosamente, eu fui dormir de madrugada hoje atualizado meu perfil no CS, buscando informações, etc pois estou planejando uma mochilada no próximo ano. Legal ler o seu relato, me deu muita inspiração e esclareceu muitas dúvidas.

    PS.: Esta e outras postagens do seu blog vão servir de guia para minha próxima viagem.

    Beijo !

    • Legal Nat!!! Você poderia dar umas fotografias para seus anfitriões hein?! Mandar revelar e dar de presente. Eu ia adorar! Se quiser posso te receber na minha casa para refazermos novas fotos, pq essa que nós tiramos lá em casa (com minha humilde máquina) não valeu. hehehe

      Beijo!

  12. Excelente post Cris! Já sou cadastrado no Couchsurfing há um bom tempo, mas nunca tive a experiência de receber alguém ou surfar em algum sofá. Ano que vem iremos fazer um mochilão pela Europa e pretendo usar o Couchsurfing! Tenho lido muitas experiências boas sobre essa forma de conhecer novas pessoas!

    • Oi Bruno, depois que você começa a viajar com o couch, não vai querer mais ficar em nenhum tipo de hospedagem convencional. hahaha Claro que alguns destinos são mais difícil de encontrar um sofá, mas pela Europa você encontra fácil. Quando for guest em alguma casa me conte como foi sua experiência. ;)
      Boas surfadas!

  13. Delícia de texto. Delícia de experiência. O passeio pelo blog valeu super a pena, como sempre.

    • Elaine querida, você sabe que nunca conseguia escrever sobre o couch? Tenho muita dificuldade em falar das coisas mais corriqueiras em minhas viagens, como é o caso do couchsurfing. Embora, nem sempre é tão comum assim para outros viajantes. rsrs Que bom que gsotou do post. ;)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>